Apoio à gestão de olivais e à certificação de material vegetativo de variedades de oliveira nacionais

Cofinanciado por:
Acrónimo | GESCERTOLIVE
Designação do projeto | Apoio à gestão de olivais e à certificação de material vegetativo de variedades de oliveira nacionais
Código do projecto | ALT20-03-0246-FEDER-000058
Objetivo principal | Reforçar a Investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação - Contribuir para a preservação e valorização do património olivícola nacional

Região de intervenção | Alentejo

Entidade beneficiária |
  • Universidade de Évora(líder)
  • Instituto Politécnico de Portalegre(parceiro)

Data de aprovação | 01-07-2020
Data de inicio | 28-09-2020
Data de conclusão | 27-09-2022

Custo total elegível | 277705.90 €
Apoio financeiro da União Europeia | FEDER - 236050.02 €
Apoio financeiro público nacional/regional | 41655.88 €

Resumo

Disseminação de resultados de projetos de I&D, promovendo a transferência para o setor produtivo do conhecimento adquirido sobre propagação da oliveira e técnicas de condução sustentável de olivais, e, de igual modo, disponibilizando técnicas expeditas, fiáveis e económicas, de rastreabilidade varietal e sanitária das plantas e do azeite, para que possam ser utilizadas pelos produtores, viveiristas e serviços oficiais de certificação.


Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

A operação tem como objetivo a validação e disseminação de conhecimento adquirido em projetos de I&D e divide-se em 3 atividades:
Atividade 1. Técnicas culturais a aplicar em olivais intensivos de variedades nacionais.
Atividade 2. Novas técnicas de certificação sanitária e varietal de cultivares de oliveira
Atividade 3. Produção de plantas in vitro e instalação de campo de material pré-base
O desenvolvimento destas atividades visa a preservação e valorização do património oleícola nacional, contribuindo para a sustentabilidade ambiental dos sistemas culturais e a gestão racional dos fatores de produção, afirmando-se assim como elemento dinamizador na fixação das populações em zonas rurais e no desenvolvimento de novas oportunidades de negócio contribuindo de forma significativa para a economia regional. A aplicação de técnicas culturais pouco adaptadas a uma olivicultura de regadio, económica e ambientalmente sustentável, a indisponibilidade de material vegetativo de qualidade, assim como a falta de certificação sanitária e varietal do mesmo, são fatores limitantes à utilização das variedades de oliveira tradicionais nas plantações a ser instaladas nos novos regadios do Alentejo. A equipa de trabalho desenvolveu em projetos de I&D metodologias inovadoras, capazes de ajudar a obviar estes problemas e pretende com esta operação validar esse conhecimento e promover a sua difusão/transferência para o setor produtivo, quer pela transferência de conhecimento quer eventualmente num futuro próximo pela prestação de serviços. A concretização deste objetivo terá um impacto significativo na sustentabilidade económica de toda a fileira oleícola, já que, a utilização de técnicas culturais adequadas e material vegetativo de qualidade, se traduzirá em última análise uma melhoria da capacidade produtiva dos olivais, numa redução de custos de produção e consequentemente num aumento do rendimento dos olivicultores.