Viver a UÉvora

A UÉ é juventude e experiência, é história e inovação, é identidade e multiculturalidade. É o local para uma formação única, onde priorizamos a investigação e o desenvolvimento de carreiras. É aprendizagem e ensino, é presente de olhos postos no futuro. Uma Universidade, uma Cidade.

Conhecida como a Cidade-Museu, Évora tem mais de 2000 anos de história, estando classificada como Património Mundial da UNESCO. Desde a imponência dos monumentos históricos, à simplicidade das casinhas brancas com detalhes coloridos, andar pelas ruas estreitas da cidade é como fazer uma viagem no tempo. Rodeada por vastas muralhas de herança romana, o coração da cidade alberga a Universidade de Évora, a segunda universidade mais antiga de Portugal. Entre a hospitalidade dos eborenses e a gastronomia de deixar água na boca, Évora é uma cidade que vive para os estudantes e que proporciona uma cultura académica vibrante.
A região do Alentejo é conhecida pela sua paisagem deslumbrante, das planícies ondulantes onde se esconde o sol, às praias da Costa Vicentina. Alentejo é também, tal como dizia o poeta Manuel Alegre, para quem o escolhe, uma casa.

Patricia Namora

Aqui sou feliz com as lembranças que trago hoje comigo.

Enquanto estudante, não trocava esta experiência por nenhuma outra, nem esta universidade por nenhuma outra. São os professores que relembro com carinho, os espaços que revisito nas minhas memórias, as aulas, os colegas, os claustros, a biblioteca... A Universidade de Évora é mãe de todos os que por lá passaram.

Sempre achei que havia uma proximidade entre a universidade e os estudantes na medida em que, tudo aquilo que procuramos, a nível académico está ao nosso alcance, de um modo eficaz. É com orgulho e com um sorriso de saudade que afirmo que fui aluna desta instituição.

Patrícia Namora (Madeira)

Licenciatura em Línguas e Literaturas
Mestrado em Turismo e  Desenvolvimento de Destinos e Produtos

 

 

Porque escolher a UÉ

Contigo desde o primeiro click
Ensino e investigação aliados na formação
De olhos postos no futuro: a construir uma universidade sustentável
Há sempre o que fazer