UÉ integra Laboratório Vivo para a Descarbonização de Évora

A Universidade de Évora integra o consórcio "Laboratório Vivo para a Descarbonização de Évora" (LVpDÉ), um projeto que tem como foco o centro histórico da cidade e que visa a implementação e demonstração de soluções tecnológicas inovadoras ligadas aos setores dos transportes e mobilidade, da promoção da eficiência energética e do espaço urbano eficiente.

O documento, assinado no dia 20 de fevereiro no Salão Nobre dos Paços do Concelho da cidade de Évora vem formalizar este consórcio constituído, para além da Universidade de Évora, pela Câmara Municipal de Évora (CME), GoWithFlow, Logistema, Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, DECSIS, ALTICE e Agência Desenvolvimento Regional Alentejo, sendo responsável pelas grandes áreas da "Mobilidade Sustentável", "Espaço Coletivo Eficiente", "Centro Integrado da Operação/Monitorização", "Insfraestruturas e Conetividade", "Zoom Operativo" e "Gestão de Meios".

O Laboratório Vivo “traduz-se na adaptação de um espaço urbano com identidade local por forma a tornar-se num espaço de teste, demonstração e apropriação de soluções tecnológicas integradas em contexto real, com foco nas questões da mobilidade. O projeto promove a descarbonização da vivência em cidades, através da integração de soluções nos domínios dos transportes e mobilidade, eficiência energética em edifícios, serviços ambientais inovadores e promoção da economia circular” avança a CME.

Os promotores esperam que a implementação de serviços ambientais inovadores possa servir de modelo para outras cidades, uma vez que “é convergente com os princípios enunciados nos acordos de Paris e Pacto de Autarcas, centrado na redução da emissão dos gases poluentes para a atmosfera e descarbonização da vivência em cidades”.

 

Publicado em 19.02.2020