SOLuções baseadas em cobertura do solo com mulch e biochar procedentes de resíduos do lagar para reverter processos de desertificação nos oliVais do MediterrâneO

Cofinanciado por:
Acrónimo | SOLVO
Designação do projeto | SOLuções baseadas em cobertura do solo com mulch e biochar procedentes de resíduos do lagar para reverter processos de desertificação nos oliVais do MediterrâneO
Código do projecto | 2022.06004.PTDC
Objetivo principal |

Região de intervenção |

Entidade beneficiária | Universidade de Évora(líder)

Data de aprovação | 27-07-2022
Data de inicio |
Data de conclusão |

Custo total elegível |
Apoio financeiro da União Europeia |
Apoio financeiro público nacional/regional |

Resumo

A recente introdução de olival de regadio super-intensivo com densidades até 2000 oliveiras por hectare, em diferentes regiões da Bacia do Mediterrâneo incluindo o Sul de Portugal, coloca novas preocupações sobre a conservação de solos e águas. Práticas de gestão sem aparente preocupação com a sustentabilidade no uso dos recursos naturais resultam em progressiva desertificação, levam à degradação do solo devido à erosão do solo e as perdas de fertilidade associadas e comprometem a segurança alimentar a longo prazo. Adicionalmente a degradação do solo resultará num aumento do risco de assoreamento dos reservatórios, os mesmos que fornecem água para irrigação, e reduz a capacidade de fixação de carbono destes solos, contrariando as estratégias e objetivos climáticos a que a União Europeia se comprometeu. Além disso, os cenários já conhecidos de mudança climática para estas mesmas regiões, preveem que o clima vai ser mais quente e seco, o que vai inevitavelmente acentuar as tendências de desertificação. Por outro lado, o setor olivícola está perante um enorme desafio quanto à gestão dos resíduos do lagar (bagaço), sendo urgente o desenvolvimento de novas tecnologias para a neutralização e valorização desses resíduos fitotóxicos.

O principal objetivo do projeto SOLVO é desenvolver soluções baseadas na natureza que efetivamente revertam a degradação de solos já degradados através da aplicação de coberturas “mulch” e biocarvão derivados da atividade olivícola. O projeto vai além do estado da arte para desenvolver e testar técnicas inovadoras e avaliar a eficácia das mesmas, para restaurar os principais serviços do ecossistema do solo (ES): 1) controlo da erosão; 2) abastecimento de água; 3) fixação de carbono; 4) fertilidade do solo; 5) habitat do solo. O SOLVO irá selecionar as técnicas mais adequadas com a seguinte abordagem:

1. Seleção dos mulches e biocarvões -de diferentes materiais, suas misturas, taxas e esquemas de aplicação - que maximizem a capacidade de restauro do tratamento aplicado;

2. Avaliação do efeito dos tratamentos escolhidos pelos agentes sociais nos ESs do solo, como controlo da erosão, abastecimento de água, fixação de carbono, fertilidade e habitat do solo a diferentes escalas espaciais em olivais degradados (alto risco de erosão hídrica e baixo teor de matéria orgânica) da região Mediterrânica em Portugal;

3. Avaliação do ciclo de vida, da sustentabilidade ambiental e predição do desempenho dos tratamentos com modelos eco-hidrológicos em cenários espaciais e temporais alargados e úteis como ferramentas de apoio à decisão para a melhoria da gestão e da produção do olival.

A abordagem consistirá na aplicação de mulch e biochar tanto superficial como misturados com o solo, tanto em abordagens de campo como em laboratório, e a diferentes escalas. Para além do desenvolvimento e validação para restaurar solos degradados, o SOLVO pretende alcançar os seguintes impactos: promover a segurança alimentar e a sustentabilidade dos sistemas de produção em agricultura intensiva, aumentar o sequestro de carbono no solo, aumentar a eficiência no uso dos recursos naturais, incrementar a capacidade de adaptação destes sistemas perante as mudanças climáticas, incrementar a qualidade das águas subterrâneas e superficiais, promover a fertilidade do solo e finalmente promover a economia circular, uma vez que a aplicação de resíduos irá criar um novo recurso económico e social, reinvestido no sistema de produção.