GO SOLO: Promoção de práticas agrícolas conservadoras do solo através da demonstração, expedita e a baixo custo, do seu impacto na matéria orgânica

Cofinanciado por:
Acrónimo | GO SOLO
Designação do projeto | Promoção de práticas agrícolas conservadoras do solo através da demonstração, expedita e a baixo custo, do seu impacto na matéria orgânica
Código do projecto | PDR2020-101-031244
Objetivo principal | Reforçar a Investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação

Região de intervenção | Alentejo

Entidade beneficiária |
  • Terraprima - Serviços Ambientais, Sociedade Unipessoal, Lda(líder)
  • Confederação dos Agricultores de Portugal(parceiro)
  • Fundação Eugénio de Almeida(parceiro)
  • Herdade Machoqueira do Grou CRL(parceiro)
  • INIAV - Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária(parceiro)
  • Pedro Sacadura Teixeira Cabral Duarte da Silveira(parceiro)
  • Sociedade Agrícola Herdade dos Padres, S.A.(parceiro)
  • Tapada dos Numeros - Sociedade Agrícola, Lda(parceiro)
  • Terraprima - Sociedade Agrícola, Lda (parceiro)
  • Universidade de Évora(parceiro)
  • Zea, Sociedade Agrícola Unipessoal, Lda.(parceiro)

Data de aprovação | 12-12-2017
Data de inicio | 01-01-2017
Data de conclusão | 31-12-2021

Custo total elegível | 429397.81 €
Apoio financeiro da União Europeia | FEADER - 41572.50 €
Apoio financeiro público nacional/regional |

Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

Objetivos


O grupo operacional (GO) SOLO pretende realizar a demonstração expedita e a baixo custo do teor de matéria orgânica do solo (MOS) em pastagens permanentes semeadas biodiversas ricas em leguminosas (PSB) e sua capacidade de sumidouro de carbono, como forma de promover a produção, disseminação e adoção de práticas mais sustentáveis. 


Os objetivos estratégicos desta iniciativa são:



  1. Dotar os agricultores de conhecimento que permita aumentar a eficácia da gestão agrícola numa perspetiva de caracterização e potenciação dos serviços ambientais gerados, no que diz respeito ao solo.

  2. Criar uma abordagem metodológica que reduza substancialmente o custo de obtenção de informação sobre teores de MOS e que permita que mais agricultores recorram de forma regular a esta ferramenta de gestão.


 


Do ponto de vista operacional, os objetivos da iniciativa são:



  1. Desenvolver um novo método expedito para amostragem e análise de MOS que se afaste da recolha manual de amostras analisadas laboratorialmente, usando como nível intermédio a recolha automática e a deteção próxima por forma a calibrar o objetivo final que é a utilização de métodos de deteção remota sem amostragem.

  2. Produção de cartografia relativa à variação interanual de MOS em PSB a partir do método inovador e de baixo custo desenvolvido no projeto.

  3. Estudar a relação entre as práticas de gestão das PSB de parceiros no GO SOLO e a MOS.

  4. Divulgar o impacto quantificado das práticas sobre a MOS entre a comunidade de agricultores Terraprima e outros e organismos da administração central e regional.


 


Atividades a desenvolver


O Plano de Ação divide-se em 3 fases cujas ações serão implementadas em áreas de PSB em fase de manutenção, i.e. sem instalação de novas pastagens. Porém, tentará maximizar-se a heterogeneidade em termos de idade das parcelas. Prevê-se que cada um dos 7 parceiros que são empresas agrícolas participe no projeto com uma parcela de aproximadamente 25 hectares, sendo portanto a área abrangida inicialmente (para recolha de dados) de 175 ha.



  • Fase 1: Desenvolvimento do Método Expedito para Determinação da MOS


Objetivo: Desenvolver e calibrar método que permita a utilização de deteção remota (imagens de satélite) para a previsão dos teores de MOS em PSB, utilizando informação espectral e a condutividade elétrica aparente do solo (CEa) como passos intermédios


 



  • Fase 2: Efeito de Diferentes Práticas de Gestão de PSB na MO do Solo


Objetivo: determinar o efeito de diferentes práticas agrícolas na MOS com recurso ao espectrómetro VNIR, a sensores de condutividade elétrica e a imagens de satélite.


 



  • Fase 3: Disseminação


Objetivo: Divulgar os resultados do projeto pelo maior número possível de agricultores, organizações representativas da produção agrícola e atores públicos com relevância no setor.


 


Identificação dos resultados previstos atingir



  1. Cartografia referente aos teores de MOS nas áreas de estudo.

  2. Interpretação da cartografia relativamente ao efeito de diferentes práticas agrícolas na MOS para agricultores parceiros do GO SOLO.

  3. Cartografia de carácter preditivo resultante da aplicação do método para estimativa de MOS calibrado nas áreas do projecto e aplicado à área de implementação potencial de PSB (Alentejo, Beira Interior e Ribatejo e Oeste).

  4. Protocolos normalizados de utilização dos equipamentos e métodos referidos na medição do teor de MOS.

  5. Produção científica associada às atividades do GO SOLO.

  6. Produção de materiais de divulgação associados às atividades do GO SOLO, nomeadamente sob a forma de recomendações para o aumento de teor de MOS e da capacidade de sumidouro de carbono.