Inovação Pedagógica

Inovação Pedagógica

A Universidade de Évora adaptou-se às exigências do novo panorama mundial associadas à pandemia Covid19, com o objetivo de garantir a continuidade da sua missão. Para este efeito, e como forma de agilizar o processo, a UÉ aderiu à modalidade de Ensino a distância durante este período.

Ensino/Aprendizagem em contexto COVID-19

Esta página foi criada com o objetivo de dar orientações para o ensino de Unidades Curriculares (UC) à distância, em resposta às medidas de contingência aplicadas para conter o COVID-19.

As aulas a distância iniciaram-se no dia 16 de março e prolongam-se até ao final do semestre. Em casos excecionais, em que existem atividades que é mesmo impossível realizar a distância, haverá reposição dessas atividades, logo que as condições o permitam.  

De seguida, são apresentadas algumas linhas orientadoras para o corpo docente, que são similares às que estão também a ser seguidas noutras Universidades portuguesas.

Foco nos Objetivos Essenciais da Unidade Curricular

  • No ensino a distância pode ser difícil cobrir, com o mesmo detalhe que no ensino presencial, todos os tópicos da UC. Por isso, é importante identificar os objetivos essenciais da UC e focar a aprendizagem nas matérias/competências consideradas essenciais.
  • Devem ser comunicadas claramente aos estudantes (via Moodle e/ou email) as alterações nos objetivos, métodos de avaliação e datas de entrega dos trabalhos, projetos, relatórios, etc da UC.
  • A Comissão Executiva e de Acompanhamento/Direção de Curso, deve coordenar as alterações nas UC, de forma a evitar que sejam dadas demasiadas tarefas em simultâneo aos estudantes. O foco tem de estar na aprendizagem e não na avaliação!
  • O Conselho Pedagógico de cada Escola deve ser informado das alterações que ocorrerem em cada ciclo de estudos e deve aprovar a marcação das provas de avaliação.

Novo Funcionamento da UC

  • O regime de funcionamento da UC deve ser ajustado. Em particular, tendo em conta que pode haver estudantes que não tenham acesso à Internet, ou em que o acesso pode não permitir participar em sessões síncronas, a aprovação não deve depender da assiduidade em sessões síncronas.
  • Se forem realizadas sessões síncronas, devem ocorrer no horário da UC.
  • Os horários de dúvidas devem ser mantidos, por via eletrónica (email, Zoom, WhatsApp, etc.)
  • Todo o material de apoio à UC deve ser disponibilizado, na página Moodle da UC. Recomenda-se que o upload do material seja feito antes da aula a que diz respeito.
  • Devem ser registados sumários, sendo validados através do número de acessos semanais ao Moodle, tal como acontece nos cursos oferecidos em regime de e-learning. Não é necessário entregar o sumário em papel.
  • Recomenda-se que os testes e exames sejam elaborados antecipadamente como medida preventiva face à eventual ausência forçada do corpo docente.
  • É importante identificar se há estudantes com dificuldade de acessibilidade digital ou necessidades especiais, para que lhes enviar a gravação das aulas ou, eventualmente, realizar acompanhamento adicional.
  • É conveniente relembrar os estudantes que as regras de integridade académica permanecem em vigor para o ensino online e na comunicação.

Recomenda-se a utilização combinada das plataformas Moodle e Zoom/Colibri.

Moodle

  • A plataforma Moodle permite a interação assíncrona com os estudantes, permitindo colocar artigos, powerpoints, cadernos de exercícios, criar formar fóruns de discussão e chats, colocar pequenos vídeos que os estudantes podem visualizar quando desejarem (video lessons), realizar testes e trabalhos e permite monitorizar a realização das tarefas pelos estudantes.

Zoom

  • A plataforma Zoom permite realizar sessões síncronas com os estudantes. Estas sessões, a ocorrem, devem ser realizadas no horário da UC.
  • O Zoom Chat (Bate-papo) permite a participação dos estudantes durante a aula. Para melhorar a qualidade do som, é aconselhável que os estudantes tenham o audio desligado e só o liguem em momentos que querem participar oralmente.
  •  Existe a possibilidade de gravar a aula no Zoom e colocar no Moodle, para que os estudantes possam aceder posteriormente à aula em tempo diferido.
  • A plataforma Zoom, está disponível em https://c olibri.fccn.pt . A autenticação é feita com as credenciais de acesso (usadas para aceder ao SIIUE, e-mail, Moodle). 

Veja os manuais disponíveis na página web dos Serviços de Informática  

Todas as atividades letivas em que seja possível encontrar alternativas á distância que garantam a qualidade do processo de aprendizagem, devem ser realizadas dessa forma! Tudo o que puder ser feito, não deve ser adiado!

No entanto, poderá haver atividades (algumas UC da Música e Teatro, algumas componentes de aulas laboratoriais ou trabalho de campo, algumas componentes de UC de Enfermagem e Medicina Veterinária, algumas componentes de UC de Desporto,…), que tenham mesmo de ser feitas presencialmente. Essas atividades serão repostas logo que a situação epidemiológica o permita.  

Aulas por videoconferência

  • É aconselhável fazer um teste prático antes da primeira aula. Envie um convite por mail para si próprio. Como o Zoom funciona quer em portáteis, quer em smartphones ou tablets, poderá usar um destes dispositivos para verificar se a forma como está a ser partilhada e transmitida a sua imagem e/ou o écran;
  • Caso seja utilizado um quadro para escrita, a posição da câmara deve ser de forma a enquadrar tanto quanto possível o quadro de forma legível. Verifique através de outro equipamento se o quadro está visível em termos de iluminação e eventuais reflexos. 
  • Caso seja necessário utilizar um quadro, deve ser ponderada a utilização do quadro virtual fornecido pela ferramenta Zoom/Colibri, em detrimento de um quadro comum. Se for usado um quadro comum durante a aula, o docente está mais longe do microfone e por vezes de costas para a câmara e microfone. O volume do som ouvido pelos participantes, poderá, por este motivo, oscilar fortemente. Uma possibilidade para minimizar este problema é a utilização de um microfone/auscultador Bluetooth ligado ao portátil. 
  • Preparar a proposta de atividades online para cada aula e colocar na plataforma Moodle; ter em consideração o tamanho das turmas e fazer as opções de trabalho também em função desse número; para turmas muito grandes talvez valha a pena dividir a turma para algumas atividades; turmas grandes não favorecem a participação e a aprendizagem ativa dos estudantes;
  • Uma aula por videoconferência é normalmente, e por natureza, menos interativa que uma aula presencial e, por este motivo, mais difícil de acompanhar. Tente ser claro e ajustar o tempo de exposição; 
  • Fornecer aos estudantes algumas regras de funcionamento da sessão: microfone desligado, pedir a palavra, entrar ou sair da aula virtual, utilização do bate-papo para colocar dúvidas, entre outros aspetos; os pedidos de palavra ao professor, podem ser feitos por mão no ar ou no bate-papo (chat);
  • Partilhar os recursos de acompanhamento à sessão (apresentação eletrónica, textos de apoio e/ou outros recursos) na página da disciplina na plataforma Moodle.
  • Dar atenção aos estudantes como, por exemplo, verificar regularmente se os estudantes estão com atenção, através de pausas e questões dirigidas, solicitar comentários, entre outras possibilidades;
  • Após a sessão, pode consultar a página pessoal na plataforma Colibri/Zoom para aceder aos ficheiros gravados da sessão (áudio, vídeo e texto do bate papo) e disponibilizar a gravação da sessão (se pretendido) com os alunos, com link partilhado na plataforma Moodle. Para a funcionalidade de gravação estar ativa é necessário ativar a gravação da sessão; sugerimos que a gravação das sessões seja feita diretamente para o computador do docente, para evitar falhas de gravação.

Aconselha-se a leitura de:

Aulas Práticas

  • Em aulas práticas, recomenda-se dividir a turma em grupos mais pequenos, pois é difícil manter uma conversa online com mais de 5 a 7 participantes. O Zoom suporta “salas de grupo” que dividem a turma em grupos mais pequenos e, após um período de tempo especificado, reunir os grupos todos para apresentação do trabalho realizado por cada grupo, discussão e esclarecimento de dúvidas.
  • É aconselhável definir objetivos claros em relação à forma como os estudantes se devem preparar para a discussão. Considere enviar perguntas/exercícios específicos com antecedência ou pedir que enviem perguntas antecipadamente.

Aulas de Laboratório

As aulas de laboratórios geralmente necessitam de equipamentos específicos e atividades práticas. No entanto, é possível modificar as aulas de laboratório de modo a envolver estudantes remotamente. Em seguida apresentam-se alguns exemplos:

  • Considere alterar as atividades de laboratório. Por exemplo, altere o foco da recolha de dados para a análise de dados. Forneça aos estudantes os resultados no formato em que iriam ser recolhidos, e solicite aos estudantes que concluam a análise como se eles tivessem realizado a recolha dos dados.
  • Para os casos em que as observações fazem parte do processo, considere gravar a demonstração e solicite aos estudantes que recolham a informação necessária através do vídeo.
  • Os estudantes podem trabalhar em grupo na elaboração de relatórios por email ou outras ferramentas colaborativas.
  • Explore formas alternativas de ensino, por exemplo, simulações online, que permitam os estudantes interagir virtualmente com o equipamento e as condições do laboratório.

No entanto, poderá haver atividades das aulas laboratoriais que tenham mesmo de ser realizadas presencialmente. Essas atividades serão repostas logo que a situação epidemiológica o permita.  

Horários de Dúvidas

  • Os horários de dúvidas devem ser mantidos, podendo ser assegurados por via eletrónica (email, Zoom, WhatsApp, etc.)
  • É aconselhável definir objetivos claros em relação à forma como os estudantes se devem preparar para o horário de dúvidas. Considere pedir que os estudantes enviem perguntas antecipadamente.
  • Uma alternativa interessante é usar o Fórum de discussão do Moodle.  Qualquer estudante pode criar um novo tópico que poderá ser respondido tanto pelos seus colegas como pelo Docente. Os participantes devem ativar a opção de subscrição para receber no seu e-mail as novas mensagens no Fórum.

Gravação de aulas

Existem várias opções para gravar uma aula ou apresentação. Uma aula gravada ou uma apresentação de slides pode ser partilhada com estudantes, por exemplo publicando no educast/Loom ou no Youtube e divulgando no Moodle.

  1. Zoom:  pode usar o Zoom como uma ferramenta de gravação para gravar uma aula remotamente permitindo aos estudantes assistir mais tarde à aula. Esta funcionalidade tem de ser ativada no início da reunião.
  2. PowerPoint (apresentação de diapositivos):  Abra a apresentação no PowerPoint e ative o Slideshow (Apresentação de Diapositivos). Clique no botão Gravar para entrar no modo de apresentação de slides, e começará automaticamente a gravação. Quando terminar, clique no botão Finalizar. Para exportar a sua gravação como um ficheiro de video, selecione File> Export e selecione Create a video. Verifique se selecionou “Use Recorded Timings and Narrations”. Faça "Gravar como" e escolha um ficheiro tipo "Video MPEG-4(*.mp4)".
  3. EDUCAST RECORDER MAC (disponível na pagina dos SI) – permite gravar a tela e o docente aparece num canto, ou só tela ou só voz. Para os equipamentos com sistema operativo Windows, Mac e Linux deve ser usado o Loom.

Estudantes de Mobilidade In e Estudantes Internacionais 

Aos estudantes em mobilidade in e aos estudantes internacionais, foi apresentada a possibilidade de regressarem aos seus países de origem, concluindo as UC em que estão inscritos na Universidade de Évora em regime de e-learning.

Os docentes responsáveis por UC onde estejam inscritos estudantes de mobilidade in e/ou

estudantes internacionais que tenham optado por regressar aos seus países, têm que garantir que os estudantes possam frequentar e ser avaliados em regime de e-learning, mesmo se o período de suspensão entretanto terminar.

Estudantes em Mobilidade Out que regressaram a Portugal 

Aos estudantes em mobilidade out, foi aconselhado o regresso a Portugal. Para estes estudantes apresentam-se duas possibilidades:

a) Os estudantes mantêm o regime de mobilidade out, se a universidade onde estavam em mobilidade permitir concluírem as UC na modalidade e-learning.

b) os estudantes passam a estar inscritos como estudantes normais nas UC que faziam parte do learning agreement, se a Universidade onde estavam em mobilidade não permitir a conclusão em e-learning.

Para este último cenário, os estudantes podem ainda ser avaliados pelo regime de avaliação contínua, numa dada UC, nas seguintes condições:

  • Não são contabilizadas as faltas às aulas do período em que estiveram em mobilidade;
  • Ficam dispensados das provas de avaliação que já tenham ocorrido, sendo o peso das mesmas atribuído, de forma proporcional, aos elementos de avaliação contínua que ainda não foram realizados;
  • Os docentes devem acompanhar os estudantes de forma a permitir a recuperação da matéria, entretanto já lecionada;

Os docentes devem agir de forma a minimizar a perturbação que esta crise trouxe ao percurso académicos destes estudantes.
 
 

  • Durante o período de suspensão das aulas presenciais, não são realizados elementos de avaliação presencial.
  • Sempre que possível, os elementos do regime de avaliação contínua que estavam previstos serem realizados presencialmente deverão ser substituídos por elementos alternativos que possam ser realizados/submetidos online.
  • Na avaliação contínua, nos casos em que estava prevista a realização de testes presenciais e em que seja justificável manter pelo menos um desses testes para garantir a fiabilidade da avaliação, o mesmo poderá ser realizado durante o período de avaliação final, como é aliás permitido pelo Regulamento Académico.
  • As UC ou partes de UC (p.e. componente laboratorial) em que não é possível substituir as atividades presenciais, serão realizadas, em regime intensivo, após o período de suspensão. O calendário escolar será alterado em conformidade.
  • A condição de o estudante assistir a 75% das aulas encontra-se suspensa, uma vez que existem estudantes que podem não ter condições para assistir às sessões síncronas.
  • Os ajustes ao calendário escolar serão anunciados assim que houver informação mais segura sobre o evoluir da crise pandémica.
  • A Comissão Executiva e de Acompanhamento/Direção de Curso, deve coordenar as alterações nos métodos de avaliação e nas datas de avaliação, de forma a evitar sobreposições de provas e uma sobrecarga dos estudantes.
  • Os Conselhos Pedagógicos das diferentes Unidades Orgânicas devem articular entre si e com os SI a marcação de testes on-line.

Durante o período de suspensão de atividades letivas, aplicam-se as regras seguintes às provas públicas:

  • Devem ser realizadas por videoconferência, sendo desejável que um elemento do júri e o candidato estejam presentes no local das provas. A impossibilidade de se verificar a situação descrita não pode, no entanto, inviabilizar a realização das provas. Em qualquer das situações é necessário assegurar o acordo entre o júri e o candidato bem como as condições técnicas requeridas para o efeito. A marcação das datas deve ser atempadamente comunicada aos SI. A ata regista a forma de participação.
  • Compete ao Presidente do júri assegurar-se que as condições acima referidas são cumpridas.
  • O secretariado das provas envia, atempadamente, aos membros do júri e ao candidato, informação contendo o link e outras indicações necessárias para a realização das provas; no anúncio das provas públicas deve ser inserido o link para acompanhamento da sessão.

Todas as provas já marcadas ou a marcar devem adotar este modelo de funcionamento.

  • Os estudantes que se encontrem inscritos na UC Tese ou na UC Dissertação/Trabalho de Projeto/Relatório de Estágio devem continuar a reunir-se com os seus orientadores usando as ferramentas de colaboração à distância. Na maioria dos casos, não está prevista a prorrogação do prazo de entrega da Tese ou da Dissertação e Trabalho de Projeto.  No entanto poderá haver prorrogação, a anunciar quando houver informação para tal, em casos em que o trabalho de investigação envolva trabalho de campo/recolha de dados em Escolas, Hospitais e noutras instituições onde este tipo de atividades está suspenso.
  • Nas UC de Estágio, Ensinos Clínicos e Prática de Ensino Supervisionada, considerando a suspensão dos estágios durante o período de suspensão de atividades letivas, admite-se que venha a ocorrer uma prorrogação das datas de avaliação dessas UC e da data de entrega dos respetivos relatórios, a anunciar quando houver informação para tal.
  • Nos cursos de 1º e 2º ciclo onde existe um período de estágio com a consequente realização de um relatório de estágio admite-se que venha a ocorrer uma prorrogação da data de entrega do relatório, a anunciar quando houver informação para tal.

Há bons recursos na Internet que podem ser usados no ensino à distância

Sugestões para Ensino a distância

 Sites/Repositórios de Recursos Abertos:

Outros:

 

 

Apoio a professores

Cursos de Ferramentas de ensino à distância

A Universidade está a oferecer cursos online, no Moodle, para auxiliar os docentes na utilização das ferramentas de ensino a distância.

  • Utilização avançada do Moodle em contextos de ensino à distância -  a duração normal deste curso é de 7 semanas. No entanto, foram disponibilizados em simultâneo todos os módulos, para que os docentes possam recorrer aqueles que necessitarem. Os docentes que estiverem interessados em realizar o curso devem enviar e-mail para  apoio@si.uevora.pt  a inscrever-se no curso.
  • Ferramentas tecnológicas para ensino a distância –  área Moodle criada para divulgação de ferramentas tecnológicas e esclarecimento de dúvidas , direcionada para os docentes da Universidade de Évora. Deve solicitar acesso através do endereço de mail moodle@uevora.pt ,   indicando que pretende ser inscrito na área Ferramentas tecnológicas para ensino a distância.

Apoio a dúvidas

A Universidade de Évora está a reforçar e a dar prioridade a ações de informação e apoio a estudantes e professores. Assim, na elaboração e implementação atividades educativas online, os docentes podem contar com suporte tecnológico e pedagógico.

  1. A Universidade de Évora disponibiliza ainda um conjunto de ferramentas para ensino a distância. Mais informação em https://www.si.uevora.pt/servicos/e-Learning .
  2. O suporte tecnológico a professores e estudantes é assegurado pelos Serviços de Informática (SI) da Universidade de Évora. Este apoio é assegurado pelos SI, através dos endereços apoio@si.uevora.pt  ou moodle@uevora.pt .  
  3. O Departamento de Pedagogia e Educação da Escola de Ciências Sociais (DPE/ECS) disponibiliza uma equipa de professores que estão disponíveis para dar suporte pedagógico a iniciativas que envolvam a criação e implementação de atividades de educação online. A equipa é constituída por José Luís Ramos (jlramos@uevora.pt ), Marília Cid (mcid@uevora.pt ), Conceição Leal da Costa (mclc@uevora.pt ) e ainda por Rui Gonçalo Espadeiro (rge@uevora.pt ) do Centro de Competência TIC da Universidade de Évora.