2023

Critica Textual

Nome: Critica Textual
Cód.: LLT14373M
6 ECTS
Duração: 15 semanas/156 horas
Área Científica: Linguística

Língua(s) de lecionação: Português
Língua(s) de apoio tutorial: Português, Inglês
Regime de Frequência: Presencial

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Objetivos de Aprendizagem

A unidade curricular tem como objetivo introduzir os alunos na área científica da Crítica Textual, enquanto disciplina fundamental para a recuperação e preservação do património textual das línguas e que se constrói sobre e em inter-relação com várias outras disciplinas, tais como a Paleografia, a Diplomática, a Codicologia e a Bibliografia Material. Assim, além dos conhecimentos teóricos básicos (história da disciplina, relações interdisciplinares, problemáticas e tipologias do texto e da edição), procura-se introduzir o aluno na prática editorial, levando-o a tomar decisões informadas nesta matéria que, no final do semestre, deverão produzir como resultado a edição de um texto do nosso património.

Conteúdos Programáticos

1. Introdução
-O que é e para que serve a Crítica Textual
-Crítica Textual e Filologia
-Interdisciplinaridade
2. Breve história da Crítica Textual
-Da Antiguidade à Idade Média
-Do Renascimento ao séc. XIX
-O período moderno e a chegada da era Digital
3. A produção e transmissão dos textos
-Conceitos básicos
-O manuscrito
-O impresso
4. Tipos de edição
-Edição paleográfica / diplomática
-Edição interpretativa, de testemunho único e de testemunho múltiplo
5. Normas de edição
-Estratégias
-Táticas
6. Ateliê de edição

Métodos de Ensino

A unidade curricular de Crítica Textual desenvolve-se em sessões coletivas de natureza teórico-prática. As exposições teóricas (com o apoio de power-point, textos ou outros materiais relevantes em cada caso), que ocuparão toda a primeira parte do semestre, deverão fornecer aos alunos o “saber” necessário à transição, que se pretende alcançar na segunda parte do semestre, para o “saber fazer”, a aplicar no desenvolvimento de um projeto individual de edição de um texto do nosso património. O projeto será parcialmente desenvolvido nas últimas cinco sessões coletivas do semestre (ateliê de edição), onde os alunos poderão trabalhar em conjunto com os colegas e com o professor, e apoiado individualmente pelo professor nas sessões tutoriais (2h semanais), sendo avaliado como trabalho final da unidade curricular (100%).Em alternativa, os alunos poderão optar pelo regime de exame (Cf. Regulamento Académico, RAUÉ).

Bibliografia

BORGES, R. et alii (2012), Edição de Texto e Crítica Filológica, Lisboa: Quarteto.
CAMBRAIA, C. N. (2005), Introdução à crítica textual, São Paulo: Martins Fontes.
EMILIANO, (2002), “Critérios e normas de transcrição e transliteração de textos medievais –V. 1.0.”.
HUNTER, Michael (2006), Editing Early Modern Texts – An Introduction to Principles and Practice, New York: Palgrave Macmillan.
MARQUILHAS, R. e HENDRICKX, I. (2016). “Avanços nas humanidades digitais”. In: Martins, A. M. & E. Carrilho (eds.). Manual de linguística portuguesa, series: Manuals of RomanceLinguistics, n. 16. De Gruyter Mouton, pp. 252-277.
ORDUNA, G. (2005), Fundamentos de Crítica Textual, Ed. de Leonardo Funes y José Manuel Lucía Megías, Madrid: Arco/Libros, S. L.
PIERAZZO, E. (2015). Digital Scholarly Editing: Theories, Models and Methods. Farnham, UK:Ashgate.
PONS RODRÍGUEZ, L. (ed.) (2006), Historia de la Lengua y Crítica Textual, Madrid/Frankfurt am Main: Iberoamericana/Vervuert.

Equipa Docente