LIFE LINES instala dispositivos sonoros para afastar animais da estrada

No âmbito do projeto LIFE LINES “Redes de Infraestruturas Lineares com Soluções Ecológicas” coordenado pela Universidade de Évora, que tem como principal objetivo reduzir o impacte das estradas na biodiversidade, a equipa do projeto instalou, no passado dia 7 de Fevereiro, nas estradas nacionais N4 (que liga o Montijo à parte final da A6) e N114 (ligação entre o Cabo Carvoeiro, a ponta litoral de Peniche, na região do Oeste, e Évora, no Alto Alentejo), dois protótipos que visam dissuadir ratos e corujas de se aproximarem da estrada.

Segundo os investigadores, quando as câmaras automáticas incluídas neste dispositivo detetam movimento é emitido um som audível (no caso do protótipo das corujas) ou ultrassom (no caso do protótipo dos ratos). O ruído funciona como um alerta, levando a um evitamento ou fuga do animal e, consequentemente, a um afastamento da estrada. Paralelamente, a equipa deste projeto está ainda a testar outros dois protótipos de dissuasão em que, à semelhança do protótipo das corujas, é emitido um som audível, e monitorização de aves do poiso em apoios de linhas elétricas. Estes elementos são vulgarmente usados como locais de poiso, onde as aves de média e grande dimensão correm um risco significativo de serem eletrocutadas. Se se mostrarem eficazes na redução da mortalidade, estas medidas podem ser adaptadas a outros locais e outras espécies. 

Recorde-se que este projeto pioneiro na Europa, conta com um investimento de 5,5M€ dos quais 60% são financiados pela comissão Europeia, pretende implementar uma série de medidas minimizadoras que levem à redução da mortalidade da fauna na área do Alentejo Central. Para além da Universidade de Évora, conta com a participação da Universidade de Aveiro, Universidade do Porto, Câmara Municipal de Évora, Infraestruturas de Portugal, Associação de Desenvolvimento Local a Marca e Câmara Municipal de Montemor-o-Novo.

Publicado em 08.02.2018