Mensagem da Reitora

À Academia,

Comigo, como Reitora, a Universidade de Évora prosseguirá a sua viagem secular, conjugando o saber com a experiência e criando novos caminhos para o futuro.

Desde a sua fundação a Universidade de Évora foi um pólo europeu de concentração do saber; uma escola procurada por gentes vindas de vários horizontes que aqui encontravam as condições para estudar diversos ramos do conhecimento e exercitar a sua capacidade de expor e de contrapor argumentos.

Com os olhos postos no futuro, orgulhamo-nos do nosso passado. Nunca será demais recordar que destes claustros saíram mestres e discípulos que embarcaram em naus com destino ao extremo oriente. Levavam com eles a nossa cultura e trouxeram, de regresso, as culturas que descobriram. Foram eles os obreiros da primeira grande globalização que o Mundo conheceu.

Nos séculos XX e XXI, após a sua refundação por Veiga Simão, a Universidade de Évora ergue-se sob o signo da procura do saber, da valorização da experiência, da socialização do conhecimento e, de novo, da internacionalização. Tal como no passado, a internacionalização pressupõe, por um lado, a tolerância para nos confrontarmos com outras culturas e, por outro, a adoção de regras e normas comumente aceites pelas universidades mais prestigiadas.

Hoje, a Universidade de Évora instala-se num largo espectro do conhecimento, no qual oferece cursos de licenciatura, mestrado e doutoramento; mas também cursos informais que visam a reciclagem de conhecimentos e garantem a formação ao longo da vida à população laboral e aposentada.

Mercê de se ter submetido à avaliação internacional, a Universidade de Évora faz hoje parte integrante da Rede Europeia de Ensino Superior e de Ciência e os seus diplomas são reconhecíveis e validados.

Através do Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo, a Universidade de Évora procura ser um parceiro das empresas aqui sediadas, incentivando-as a inovar produtos e métodos e a melhorar a sua competitividade.

Embora a Região Alentejo constitua o alvo prioritário da nossa ação como pólo de desenvolvimento, assumimos também o espaço lusófono do hemisfério sul como potencial campo para a cooperação em matéria de ensino e de investigação científica e artística.

Com as artes, as humanidades, as ciências e as tecnologias prosseguimos a viagem do passado para o futuro.

Com o conhecimento e a argúcia que nos assistem estamos certos que ganharemos o futuro!

Reitora: Ana Costa Freitas

Ana Costa Freitas